31/08/12

No Dia do Nutricionista, profissionais alertam para boa alimentação como fonte de bem-estar

Segundo Elizabeth Moura, a nutrição não deve ser lembrada apenas na hora de perder peso


Nutricionistas recomendam olhar o rótulo dos produtos para saber informações nutricionais dos alimentos

Lourenço Canuto
Agência Brasil

No Dia do Nutricionista, comemorado hoje (31), profissionais da área alertaram para o consumo de alimentos com qualidade e em quantidades adequadas à saúde.

A presidenta da Federação Nacional dos Nutricionistas, Elizabeth Moura, destacou que a nutrição não deve ser lembrada apenas na hora de perder peso. "Em geral, as pessoas pensam mais em nutrição quando se preocupam com o seu peso, mas essa ciência é muito mais que isso. A boa nutrição também cura e é responsável pelo bem-estar da população", disse.

Para a nutricionista Andrielle Haddad, a indústria de alimentos promove um "bombardeio sensorial no público, através da propaganda, para vender seus alimentos, mas o consumidor tem que ficar alerta para a sua necessidade individual de nutrientes". Ela recomenda que as pessoas olhem os rótulos dos produtos para saber "o teor de gordura, de açúcar, de carboidratos, enfim, de tudo que tenha a ver com as necessidades diárias de cada um".

Sobre o consumo de açúcar, a presidenta do Conselho Regional de Nutrição do Distrito Federal, Mara De Boni, alerta para os perigos da ingestão em excesso, que aumentam as chances do surgimento de doenças, como diabetes. É importante ainda, continuou a nutricionista, alternar os tipos de adoçantes usados, pois é mais seguro consumir variadas marcas que tenham princípios ativos diferentes. Há suspeitas de que o uso continuado de um único tipo possa causar doenças.

Ela destacou que a sociedade "clama hoje pela participação profissional do nutricionista em prol da saúde”, ao participar de sessão solene na Câmara Legislativa do Distrito Federal em homenagem aos nutricionistas.

A funcionária pública Marli Bitencourt reconhece que o cuidado com os alimentos não é uma preocupação frequente das pessoas. Em casa, ela tenta adotar hábitos saudáveis, como cozinhar com azeite de oliva no lugar do óleo de soja. Porém, reclama do preço do azeite o que “inviabiliza o uso permanente". Ela e dez irmãos, todos com mais de 50 anos de idade, passaram a controlar o consumo de açúcar e gordura, pois já perderam um membro da família, vítima de infarto.

O motorista Douglas Moreno diz ficar atento às informações nos rótulos dos produtos, lembrando que a indústria é obrigada a informar as características do alimento nas embalagens.

A coordenadora de Segurança Nutricional do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), Patrícia Chaves, destacou que, nos últimos dez anos, a nutrição passou a se tornar peça importante dentro dos programas sociais do governo. "A questão da nutrição vem contando com a preocupação das políticas públicas, na área do ministério e no trabalho do governo em prol do combate à fome dentro das políticas sociais."

Nenhum comentário :

Postar um comentário