17/10/12

Atividade física e libido sexual

Conheça a testosterona, o hormônio do prazer sexual. Saiba como ele afeta a sua vida.



Existem três coisas na vida que o ser humano mais gosta e busca constantemente: dinheiro, reconhecimento e... sexo!

A atividade física regular pode deixá-lo energizado e com melhor aparência, o que pode ter um efeito positivo em sua vida sexual. Mas não é só isso. A rotina de treino aumenta a libido nas mulheres. Homens que se exercitam regularmente têm menor probabilidade de ter problemas como a disfunção eréctil em relação aos sedentários.

Após 30 minutos de exercícios físicos, há um aumento da testosterona, que permanece assim por mais uma hora, aproximadamente. No caso das mulheres, também há um aumento dos hormônios relacionados ao desejo, sem contar a autoconfiança.

A falta de satisfação sexual ou uma atividade sexual de má qualidade acarreta inúmeros distúrbios emocionais, que se influenciam a auto-estima de uma pessoa. Interfere de maneira negativa na vida conjugal e sentimental de casais, e, muitas vezes, prejudica os relacionamentos. Comece a desconfiar de pessoas chatas demais. Quem sabe não é falta de sexo bom?

Então vamos logo conhecer esse tão famoso e interessante hormônio, a testosterona!
Entre os hormônios que interferem na atividade sexual, o principal é a testosterona, que é considerado o hormônio do prazer sexual. Embora seja encontrado em maiores níveis nos homens, ele também está presente nas mulheres.

A testosterona desempenha várias funções no organismo. As principais estão ligadas à atividade sexual. O hormônio ainda exerce uma importante função no cérebro humano ao interferir nas emoções e no humor. Faz com que uma pessoa tenha mais determinação e disposição frente aos problemas do dia a dia e mais resistência a situações de stress.

A testosterona traz sensação de bom humor e bem estar. Melhora a memória e a concentração. Além disso, reduz a gordura abdominal e a obesidade. Mantém a massa muscular e óssea. Melhora também alguns casos de hipertensão arterial e o colesterol. Tudo de bom, não é mesmo?

A partir dos 35 anos, a testosterona começa a diminuir de forma natural tanto em homens como em mulheres. Entre os 45 e 55 anos, o hormônio se reduz a quase metade dos níveis de um adulto jovem.

Além disso, o stress do dia a dia também faz com que a testosterona diminua, acarretando problemas para pessoas que trabalham em excesso, dormem pouco e se alimentam de forma irregular.

Quais são os sintomas da deficiência de testosterona?

Na mulher:

- Diminuição da libido e do prazer sexual;
- Diminuição da quantidade e da freqüência de relações sexuais;
- Dificuldade para atingir o orgasmo;
- Aumento da gordura abdominal;
- Culote;
- Rugas e flacidez muscular;
- Mau humor;
- Depressão;
- Fadiga intensa;
- E até mesmo, em alguns casos, aparecimento de celulite.

No homem:

- Impotência;
- Dificuldade de ereção e menor intensidade de ejaculação;
- Impede a atividade sexual satisfatória;
- Perda de massa muscular, que chega a ser de 2% ao ano;
- Aumento da gordura abdominal;
- Falta de memória e concentração;
- Irritabilidade e mau humor;
- Hipertensão arterial entre outros.

E então, vale à pena ou não investir em aumentar os níveis de testosterona no seu organismo? A atividade física é o seu aliado número um!

Ludpersonal
Proprietária da FitHouse - Studio de Personal
QI 19, Lago Sul - Brasília
Cel: (61) 9805-5589
Facebook: Ludmila Santos

2 comentários :

  1. Adorei o texto. Simples e objetivo e bastente didático. Atividade física é saúde em vários aspectos. Obrigada Lud...bjs Pri

    ResponderExcluir
  2. Lud fantasticamenteesclarecedora a forma como vc escreveu!!" E viva os que conhecem a fundo os beneficios as atividades fisicas, repassando-os como vc, claro!! Bjo Dani Lemos

    ResponderExcluir