19/05/13

"Não existe nada parecido no mundo", diz Leonardo Magalhães sobre o Método Explosivo

Personal trainer e empresário fala detalhes sobre o método de treino revolucionário


Foto: Netto Juvino

Quem vê hoje o físico sarado do personal trainer Leonardo Magalhães não imagina que há dois anos ele vivia acima do peso. "Pesava 72 kg com 26% de BF. Hoje peso 62 kg com 6% de BF", disse o empresário.

A transformação física radical veio após a adoção de uma dieta balanceada acompanhada de um método de treino revolucionário: o Método Explosivo.

Esqueça tudo o que você ouviu falar até hoje sobre treinos de musculação. Você não precisa mais passar horas na academia nem treinar com altas cargas para obter resultados satisfatórios. Leonardo Magalhães explica o porquê em uma entrevista especial concedida ao Sarados do Brasil.


Entrevista



01 - Olá Leonardo, seja bem vindo! Conte-nos um pouco sobre a sua formação e trabalho na área da educação física.

Sou personal trainer e empresário. Também sou pesquisador do Laboratório de Estudos do Treinamento Físico Aplicado ao Desempenho e a Saúde (LETFADS) da UFPB, membro convidado pelo Dr. Alexandre Sérgio Silva. No ano passado, fui campeão na categoria até 65 kg no Campeonato Estadual Paraibano da IFBB.

Tenho um studio de personal trainer em sociedade com Alexandry Mangueira que será inaugurado em junho e também faço prescrições on-line. Tanto na academia quanto nas prescrições, uso a nossa metodologia, o Método Explosivo. Não existe nada parecido no mundo. A SER é uma empresa de atividade física que atende desde pessoas físicas a condomínios.


02 - Como surgiu a SER?

A SER nasceu de uma brincadeira. Tive a ideia do nome durante uma aula de fisiologia do exercício, na qual assistia como ouvinte. Estava pensando em montar uma equipe com profissionais que, além do conhecimento científico, também comungassem da mesma filosofia de vida que tenho. Então criei a SER (Saúde, Estética e Resultado - Treinando seu corpo, mudando sua vida).

Acredito que o indivíduo não deve ser tratado como uma "máquina", levando em consideração apenas o corpo em si. Devemos considerar outros aspectos que compõem o ser, os aspectos mentais e espirituais. Numa visão mais holística, o ser significa todos as qualidades positivas do homem, eliminando todas os aspectos negativos do ego, nos aproximamos à imagem e semelhança de Deus. Trato meus alunos usando essa visão holística, priorizo muito o desenvolvimento desses aspectos.

03 - Há quanto tempo existe a SER?

Há cerca de um ano, mas a ideia surgiu um pouco antes. Ainda está faltando definir alguns pontos da empresa, mas como sempre digo "tudo vem no tempo certo".

04 - A SER desenvolveu uma metodologia de treino revolucionária chamada de "Método Explosivo". Como ele surgiu?

O Método Explosivo foi criado pelo Alexandry Mangueira. Surgiu da necessidade de se criar uma metodologia de treinos que fosse eficiente e quebrasse essa imagem de que o treinamento em musculação é algo chato e repetitivo.

No Método Explosivo, usamos vários sistemas de treino a fim de dar o maior estímulo no menor tempo possível. Temos como base dois métodos: o Heavy duty e o HIT (Hight Intensy Trainning) que foram criados pelo Arthur Jones e Mike Mentzer, acrescidos da base científica atualizada dos aspectos fisiológicos do treinamento.

Leonardo Magalhães. Foto: Netto Juvino
"Acredito que o ser humano não deve ser tratado como uma 'maquina', levando em consideração apenas o corpo em si".

05 - Por que você estava acima do peso há dois anos se já conhecia o método?

Devido à falta de disciplina na alimentação. Eu treinava, mas não seguia uma dieta correta. Inclusive no Método Explosivo temos uma dieta específica que se baseia na dieta metabólica do Dr. Mauro de Pasquale.


06 - Como você se alimentava? O que fazia errado?

Não fazia distinção do tipo de carboidrato que usava. Consumia tanto os simples quanto os complexos e, como a maioria das pessoas, consumia carboidratos em demasia. Assim, aumentava o pico de insulina, que é um hormônio lipogênico (produz gordura).

O principal erro das pessoas é achar que o que engorda são as gorduras, quando na verdade os carboidratos simples são o grande vilão da história.


07 - Como é a dieta específica do Método Explosivo?

Restringimos ao máximo o consumo de carboidratos. Usamos apenas os carboidratos complexos. Consumimos proteínas de alto valor biológico numa proporção um pouco maior, pois assim estabilizamos os níveis de insulina e conseguimos manipular esse hormônio para atuar em horários específicos.

A ciência já mostrou que, ao reduzir o consumo alimentar, aumenta-se a produção de alguns hormônios lipolíticos, que quebram gordura, como o GH e as catecolaminas. Assim, temos um aumento considerável na massa muscular e reduzimos ao máximo a quantidade de gordura corporal.

Só consumimos raízes como inhame, macaxeira e batata doce. Como o ser humano é extremamente adaptável inclusive ao consumo alimentar nessa dieta, aprendemos a "sentir" nosso corpo e de maneira pensada, mudamos a dieta para quebrar a homeostase. Desse modo, o corpo nunca chega a se adaptar à dieta e obtemos sempre ganhos expressivos.

"O principal erro das pessoas é achar que o que engorda são as gorduras". Foto: Netto Juvino
"O principal erro das pessoas é achar que o que engorda são as gorduras".

08 - Qual é a eficácia do Método Explosivo em relação aos métodos de treino convencionais?

Não tem comparação. Em média, a cada ciclo de 7 dias, é possível emagrecer entre 700 g a 1 kg de gordura, mantendo a massa muscular. O metabolismo de quem pratica o método fica acelerado por até 48 h após a sessão de treino.

Como o treino dura em média 30 minutos, há um aumento da liberação de hormônios importantes como a testosterona, GH e as catecolaminas. Não há liberação de cortisol, hormônio que destrói a massa muscular, e que aumenta a sua secreção com o prolongamento da atividade física como acontece nos modelos de treino aplicados por aí afora.

Em média, as pessoas demoram cerca de uma hora a uma hora e meia na academia. Costumo dizer que o treino é como um medicamento. A dose não pode ser fraca porque não surte efeito. Não pode ser forte porque atuaria como um veneno. Deve ser na medida certa.


09 - A SER presta consultoria online? Como isso é feito?

Antes de tudo, é necessário que o aluno faça uma avaliação física/funcional para que seja possível direcionar o seu treino. A avaliação física é o básico. Trabalhamos com dados para sair do empirismo. Não verificamos apenas a quantidade de massa muscular e as medidas do indivíduo,por isso que exames bioquímicos são necessários

Devemos saber como o indivíduo se encontra para podermos acompanhar a sua evolução e direcionar todo o planejamento. Temos algumas planilhas que levam em consideração alguns vetores que vão nos direcionar durante a prescrição.

Por exemplo, se o indivíduo é sedentário e tem predominância de ectomorfia (ser magro), utilizamos mais sistemas de treino tensionais, que priorizam a hipertrofia sarcoplasmática, aumentando o volume muscular.


10 - E como fica na hora de executar os exercícios?

Normalmente as pessoas treinam em academias, certo? E como tal existe um professor habilitado para ensinar. Então ele ensina a mecânica e eu direciono quais devem ser os estímulos.

"Costumo dizer que o treino é como um medicamento. Deve ser na medida certa". Foto: Netto Juvino
"Costumo dizer que o treino é como um medicamento. Deve ser na medida certa".


11 - Por que o Método Explosivo não segue uma rotina de treino?

Normalmente, as pessoas fazem as famosas "receitas de bolo": 3 séries de 8, 10, 12 ou 15 repetições. No Método Explosivo cada treino é diferente. Não usamos número de repetições, usamos parâmetros. Quem pratica o método nunca chega ao platô, estado onde os ganhos se estabilizam.

Vou explicar a você a matemática do treino. Tomemos como base as 3 séries de 10 repetições. Normalmente as pessoas só variam a carga como forma de mudar o estímulo. Não levam em consideração a velocidade da execução. Então elas gastam um segundo para subir o peso e outro segundo para descer.

Visualize a rosca direta, por exemplo. Se gasto um segundo para subir e outro para descer, são dois segundos. Se faço dez repetições, gasto um total de vinte segundos. Ao realizar as três séries teremos então: vinte segundos vezes três, que é igual a sessenta segundos ou um minuto.

Se um indivíduo faz quinze exercícios em uma mesma sessão de treino, ele gastará quinze minutos para executá-los. O resto do tempo é gasto descansando, conversando ou se olhando no espelho. Não sei o porquê disso.

Na verdade, as pessoas estimulam o corpo em apenas quinze minutos no modelo tradicional e ainda sim conseguem bons resultados. Agora imagine se elas aumentassem o estímulo para vinte minutos com o nosso método.

É por isso que a maioria delas desiste da musculação. Só tem melhora no começo devido a adaptação neutral (primeira hipertrofia). É por isso que acham a atividade chata. Elas devem se perguntar por que precisam fazer apenas dez movimentos e passar quarenta segundos ou mais olhando para o teto.

12 - Então não é preciso tempo para descansar o corpo entre um exercício e outro?

Não! Quem disse isso? Quanto maior o trabalho realizado, maior o estímulo alcançado. Na maioria dos exercícios do Método Explosivo não existe descanso. Mas como disse, usamos sempre vários tipos de estímulos. Também usamos o estímulo de força máxima num determinado momento. Aí damos intervalo para poder realizar o maior esforço.


13 - Mas se não há descanso, de que maneira o aluno pode pegar pesado no treino sem sobrecarregar o corpo?

Trabalhamos sempre com o frequencímetro para verificar o esforço do aluno e medir a intensidade do treino. A cada ciclo de 12 treinos fazemos um período de regeneração onde baixamos muito a intensidade do treino, a fim de que o corpo possa se reestruturar e evitar o que chamamos de overreacching.

"Quem pratica o método nunca chega ao platô, estado onde os ganhos se estabilizam". Foto: Netto Juvino
"Quem pratica o método nunca chega ao platô, estado onde os ganhos se estabilizam".


14 - Quais são os suplementos alimentares que o Método Explosivo utiliza?

Como trabalhamos em conjunto com um nutricionista, ele cuida dessa parte suplementar. Mas basicamente usamos os suplementos validados e seguros como a proteína, o BCAA, a glutamina e os ácidos graxos essenciais (efas).


15 - Hoje no mercado existe uma enorme variedade de suplementos alimentares e muitas pessoas estão consumindo esses produtos de forma indiscriminada. Isso é perigoso para a saúde?

O uso indiscriminado de suplementos já mostra seus efeitos. A mídia já mostrou vários casos de jovens que morreram após usar pré-treinos sem a devida orientação.

"Quanto maior o trabalho realizado, maior o estímulo alcançado". Foto: Netto Juvino
"Quanto maior o trabalho realizado, maior o estímulo alcançado".

16 - O que você diria aos jovens que injetam hormônios em seus corpos sem prescrição médica?

A máquina humana é perfeita e acrescentar mais hormônios traz malefícios. Ainda não existem estudos longitudinais que mostram isso, mas brincar com hormônios é coisa séria. Afinal são eles que regulam o funcionamento do corpo.

Além disso, o uso de pró-hormônios apresenta praticamente todos os efeitos colaterais do uso de esteróides anabolizantes sintéticos.

E a lei da natureza é verdadeira: o que vem fácil, vai fácil. Após descontinuar o uso dos hormônios o corpo se desestabiliza, ocorre uma maior produção de hormônios femininos e a quase completa suspensão da produção de hormônios masculinos. É por isso que os caras "murcham" depois que param de usar essas substâncias.


17 - Muitos jovens estão tomando a erva Tribulus terrestris para aumentar a produção de testosterona. Ela funciona ou não passa de placebo?

Eu acredito muito nas pesquisas e elas mostram seus efeitos benefícios em idosos e mulheres. Em jovens não apresentam efeitos.

Vou lhe dizer uma coisa: as pessoas ganham resultado por placebo. O efeito placebo tem 80% de eficácia provado em estudo feito na universidade de Harvard. O placebo tem mais efeito do que o medicamento. A mente é a maior força criadora que existe.


18 - O Método Explosivo trabalha o poder da mente?

Sim. No método somos provados a todo treino. Somos expostos a dor a todo instante. Com isso consigo trabalhar o poder de concentração e superação do meu aluno. E no feedback divido conhecimentos acerca dessa área.

E eles mesmo relatam que estão ficando mais fortes psicologicamente com mais vontade de vencer. E que suportam mais as dificuldades da vida. Ensino-lhes a tirar uma lição boa diante dos problemas.

O objetivo do Deus do universo, das forças superiores, como você queira chamar, é nos fazer evoluir internamente. É por isso que a vida sempre nos testa, para que possamos provar o nosso valor e evoluir sempre e assim vivermos de maneira mais plena. "O mundo exterior reflete o universo interior", disse Gandhi.

"A mente é a maior força criadora que existe". Foto: Netto Juvino
"A mente é a maior força criadora que existe".


19 - As pesquisas na área da musculação têm avançado nas últimas décadas. Que mitos estão sendo quebrados?

Por exemplo, o mito de que devemos utilizar sempre cargas altas nos treinos. Estudos compararam o grau de hipertrofia sinalizado por um grupo que treinava usando carga de 80% de RM com um grupo que utilizava apenas 30% da carga, executando até a falha do movimento.

Os dados mostraram que o grupo que treinava até a falha tinha um estímulo de hipertrofia tão grande quanto o que treinava com muita carga.

Ou seja, não precisamos expor nossos clientes ao risco de se lesionar com grandes cargas. Podemos hipertrofiar usando estímulos metabólicos. O estudo foi feito com indivíduos treinados, vale salientar.


20 - Você acha que os profissionais da área ainda vão demorar algum tempo para incorporarem essas novas mudanças?

Na verdade já estão mudando. Ainda bem que existem educadores físicos interessados e que buscam utilizar critérios científicos na sua prática.

Semana passada saiu uma matéria no Jornal Nacional falando que academias no Rio já estão implementando treinos curtos e intensos.Isso já foi mostrado. Não tem sentido ficar duas horas na academia. Quanto mais intenso for o exercício maior a magnitude das adaptações.

O problema é que a maioria dos profissionais apenas "copiam" modelos de treino. Se um cara treina de tal jeito, fica forte e ganha um concurso de fisiculturismo todos começam a imitá-lo. Isso é absurdo.

2 comentários :

  1. PARABÉNS! ESSA MATÉRIA FOI SHOW DE BOLA!

    ResponderExcluir
  2. Temos como base dois métodos: o HIT e qual o outro?

    Não existe nada parecido no mundo? HIT é muuuuito parecido com isso.

    Mais não deixa de ser um bom método, porém também não deixa de ser o HIT com outro nome, como quase tudo no treino resistido! Um "novo" método muito parecido (quase igual) com um método antigo.

    ResponderExcluir