21/10/13

Carol Bittencourt, Miss Figure I do NABBA Universe 2013, revela: "Não esperava vencer"

Em entrevista, fisiculturista gaúcha fala sobre sua carreira e vitória no NABBA Universe 2013


Carol Bittencourt posa com troféu de campeã Figure I no Hotel Prince of Wales

A fisiculturista Carol Bittencourt concedeu uma entrevista inédita ao Sarados do Brasil. A Campeã Miss Trained Figure I do NABBA Universe 2013 e vice Miss Figure Overall revelou que não esperava conquistar o título mundial.

Carol falou sobre a rejeição e preconceito que enfrentou de muitas pessoas quando decidiu se tornar fisiculturista. A atleta guerreira fez do esporte uma paixão e hoje orgulha-se de sempre ter subido no pódio em todas as competições que participou.

Entrevista


Olá Carol, seja bem-vinda! Conte um pouco sobre sua trajetória no fisiculturismo.

Tive, digamos, uma carreira meteórica. Sempre fui adepta do esporte. Danço desde os 7 anos e aos 15 vi na musculação uma forma de ser mais forte. Sempre fui magrinha, tanto que modelei durante 6 anos. Sempre treinei "pesado" em busca de um corpo mais forte, mas o máximo que conseguia era definição. Tinha corpo de atleta Bikini. Fui campeã gaúcha Overall na primeira competição que entrei.

Sua carreira é marcada somente por vitórias. Como você lidaria com uma derrota?

Graças a Deus até hoje sempre subi no pódio em todas as competições. A menor posição que conquistei foi o terceiro lugar. Mas também saberia ter humildade em reconhecer que minhas adversárias poderiam estar melhor do que eu e receberia uma derrota como uma forma de evoluir.

Você sempre competiu na mesma categoria? Quando iniciou sua carreira no fisiculturismo?

Não. Iniciei tardiamente, no Bodyfitness IFBB. Comecei a treinar Muay Thai. Estava muito ligada a luta e já tinha, em pouco tempo, graduado. Não podia lutar com as meninas, pois acabava por machucá-las. Na graduações sempre lutava com os rapazes de uma faixa superior para testar a minha forca.

E foi pelo incentivo do meu mestre de Muay Thai, Rodrigo Brandão, que comecei a me preparar para o fisiculturismo. Ele já tinha sido campeão gaúcho. Foi complicado ter que aumentar o peso. Tenho 1,71 m de altura e pesava cerca de 55kg. Além de tudo, era vegetariana...

Você deixou de ser vegetariana para ganhar mais músculos?

Exatamente. Foi muito difícil no início. Não suportava a carne, mas minha vontade de me tornar uma fisiculturista era maior. Descobri que o segredo de tudo estava na alimentação adequada a uma dieta e passei a ganhar meus sonhados músculos. Ao contrário de muitos, minha dieta me fazia comer mais do que estava acostumada e rapidamente subi para 65 kg. A suplementação nessa hora me ajudou muito.

Todos foram contra (...) falavam que o fisiculturismo não me cairia bem

Como as pessoas receberam a sua decisão de se tornar uma atleta fisiculturista?

Na época em que iniciei minha carreira, o esporte era inexpressivo aqui no Sul. Havia pouquíssimos atletas e ninguém de expressão. Não sei de onde tirei a ideia de competir (risos). Todos foram contra. Eu era gerente de uma academia conhecida em Porto Alegre e falavam que o fisiculturismo não me cairia bem.

De onde você buscou força para superar essa rejeição?

Fui forte e persistente para mostrar que sim, que o fisiculturismo é um esporte lindo. Quis lutar contra o preconceito com relação as mulheres fortes. Olha... Tudo o que eu faço tem que vir do coração e o fisiculturismo veio como uma paixão. Então me fortaleci nesse "amor" e pensei comigo: "Vou provar o contrário pra essa gente!". A força vinha de mim mesmo e de poucas pessoas, como minhas filhas e alguns amigos de fé.

"Achei que não ficaria entre as seis colocadas. Todas tinham um nível altíssimo".

Você esperava ser campeã Figure I no NABBA Universe 2013?

Jamais! Não esperava vencer. Já me sentia vitoriosa só pelo fato de estar figurando entre os melhores do mundo e representar o Brasil. Não digo isso porque achei meu shape melhor ou pior, mas porque mantenho sempre uma postura humilde, dando valor às minhas adversárias.

Como você se sentiu ao ver as suas concorrentes pela primeira vez na competição? Quantas atletas competiram na sua categoria?

Achei que não ficaria entre as seis colocadas. Éramos 15 atletas disputando o título. Todas tinham um nível altíssimo.

Você conhecia a Tereza Augusta, a terceira colocada?

Sim, do Campeonato Brasileiro e NABBA Sudamerica. Alem de ótima atleta, é uma pessoa maravilhosa.

Qual é o perfil de uma atleta Figure? Tem faixa etária?

A Figure tem que apresentar um corpo treinado e musculatura desenhada, sem grande volume. Não tem restrição de idade.

Existem atletas que usam anabólicos como estratégia para participar de competições. Qual é sua opinião a respeito disso?

Demagogias à parte... O uso de substâncias está presente em qualquer esporte de alto rendimento. O que prejudica o bodybuilding é que muito praticante busca o recurso ergogênico como forma de ganhos rápidos. Se o uso de anabolizantes fizesse campeões, cada academia teria dezenas deles. E o que vemos são corpos embaçados, gordos até.

Todos se esquecem de que o fundamental na construção de um corpo forte e bonito é a dieta. Sem dieta adequada não adianta ficar se entupindo de drogas. Muito aluno meu chega pra mim direto perguntando: "O que posso tomar pra crescer?" Minha resposta é : "Tome vergonha na cara, vá treinar e fazer dieta!".

"O fundamental na construção de um corpo forte e bonito é a dieta".

Você disse que iniciou a sua carreira competindo pela IFBB. Por que mudou para a NABBA?

A categoria Figure parece que foi feita pra mim! Meu corpo é adequado a ela. Gosto da feminilidade da Figure, de posar de salto, usando jóias ou bijoux... O Bikini já é um show à parte, e ainda tem a coreografia que tanto amo fazer. Então foi amor à primeira competida (risos).

E falando em coreografia, foi a primeira vez que você se apresentou em uma competição ao som de "Canta Brasil"? Por quê escolheu essa música?

Foi sim. Pensei: "Preciso levar algo que faça referência ao meu país e que me emocione também. E essa musica é linda!

Com quantos quilos você se apresentou no dia da competição?

Eu estava com cerca de 60 kg. Mas não me preocupo com peso, minha referência é o espelho.

Você adotou alguma dieta especial para participar da competição?

Sim. Meu treinador, Rubens Gomes, readequou minha dieta inserindo inclusive novos alimentos. Não fiz uma dieta monótona, nem precisei fazer cortes exagerados.

Como você conheceu o Rubens Gomes?

Conheci o Rubens como presidente da NABBA e sabia que poderia confiar nele, pois também preparou outra Miss Universe, a Dora Rodrigues, sua esposa e minha referência como atleta. Sempre admirei seu shape nas competições e seu carisma.

"Acredite no seu sonho e não deixe ninguém dizer que é impossível".

Além de atleta e personal trainer, você também é mãe. Como consegue conciliar todos esses papéis? Como é a sua rotina?

Nossa... Não é fácil. Eu tenho uma rotina estabelecida. Minha primeira aula começa às 7h, então tudo tem que ficar preparado na véspera. Passo o dia na academia e reservo o horário do meio dia para o meu treino. É sagrado! "Rosno" se alguém vem me interromper (risos). Nesse momento sou uma atleta, não a personal, nem a amiga. Procuro não marcar aulas para o final do dia, pois de noite quero estar em casa com minhas filhas.

Você é uma mulher vaidosa?

Não. Sou adepta do rosto limpo, da legging e do tênis. Faco o estilo básico e natural.

Qual será a próxima competição que você irá participar?

Pretendo competir no NABBA World, em junho, na Irlanda e já estou em busca de patrocínio para tal.

Obrigado Carol por sua participação. Gostaria de deixar um recado para os nossos leitores?

Sim. Você é o que você quiser ser! Acredite no seu sonho e não deixe ninguém dizer que é impossível. Só você é responsável por sua felicidade.

3 comentários :

  1. Essa mulher é incrível! Que exemplo

    ResponderExcluir
  2. É uma grande profissional, super simpática, educada e humilde!!!
    Parabéns, você merece tudo de ótimo na sua vida...
    bjoo

    ResponderExcluir
  3. Virei sua fã!!! Você é demais. Parabéns!
    Bjoo

    ResponderExcluir