16/07/14

PM cadeirante Moreira Júnior supera acidente de carro e se torna fisiculturista

"A cadeira não me limita", diz soldado baiano que compete em agosto no Campeonato Brasileiro de Fisiculturismo


O soldado Moreira Júnior exibe o físico sarado. Foto: Arquivo pessoal

Em 2003, Carlos Alberto Moreira de Freitas Junior, 32 anos, se preparava para um concurso da Polícia Militar da Bahia. Na época, ele começou a praticar musculação para realizar o teste físico exigido pelo concurso. Após realizar os exames, foi aprovado e entrou para a PM.

Quatro anos depois, no dia 15 de dezembro de 2007, ele sofreu um acidente de carro durante uma viagem de férias com o irmão e um amigo. "Perdi o controle do carro em uma curva e despencamos de cima de uma ponte. Foi um acidente gravíssimo. Perdi meu único irmão e um grande amigo que morreram na hora", lembrou.

Carlos sofreu uma fratura na coluna e lesionou a medula. Só foi informado sobre o que aconteceu no acidente cinco dias depois, deitado na cama de uma UTI. "Naquele momento a vida me apresentou duas opções: me entregar e definhar em uma cama até morrer ou levantar a minha cabeça e buscar forças em Deus para continuar seguindo em frente. Eu escolhi a segunda opção e hoje estou na luta para continuar a evoluir sempre", disse.

Sete meses após o acidente, Carlos foi internado na Rede Sarah Kubitschek, em Salvador, onde começou a realizar sessões de fisioterapia com musculação adaptada para recuperar os movimentos das pernas. "Após o acidente, o médico me falou que, abaixo de Deus, o que salvou a minha vida foi a minha musculatura rígida, que segurou uma pancada fortíssima que recebi nas costas. Isso me incentivou a continuar a praticar musculação para ajudar a minha recuperação", disse.

Após receber alta, ele continuou a praticar musculação em casa e começou a postar os seus treinos no Facebook. Em pouco tempo, conquistou a simpatia de vários seguidores na rede social. "Recebo mensagens de pessoas até do exterior, que me agradecem e me parabenizam por ser uma fonte de inspiração", contou.

O acidente não impossibilitou o soldado de exercer as suas atividades na Polícia Militar da Bahia. "Sou o primeiro soldado cadeirante da PM-BA na ativa. Desfilei à frente da tropa no 7 de Setembro emocionando o público por todo o percurso e vou com certeza conquistar muitas outras vitórias, porque pode quem pensa que pode!", disse.

"Estou na luta para continuar a evoluir sempre". Foto: Arquivo pessoal
"Estou na luta para continuar a evoluir sempre"

"Abaixo de Deus, o que salvou a minha vida foi a minha musculatura rígida, que segurou uma pancada fortíssima que recebi nas costas". Foto: Arquivo pessoal
"Abaixo de Deus, o que salvou a minha vida foi a minha musculatura rígida,
que segurou uma pancada fortíssima que recebi nas costas"

De soldado a fisiculturista


A história de superação do policial militar chegou aos ouvidos de um árbitro da IFBB, que o convidou para participar de uma competição de fisiculturismo. "Ele me disse que eu tinha um ótimo shape e que, às vezes, não existe categoria para cadeirantes em campeonatos por falta de atletas. Então eu aceitei", disse.

No dia 07 de junho, Carlos competiu no 51º Campeonato Baiano de Musculação, Culturismo e Fitness, na categoria estadual cadeirante e foi classificado para o Campeonato Brasileiro, que acontece em agosto, em Ribeirão Preto, São Paulo. "Estou muito focado e treinando forte para chegar bem na competição", disse.

Moreira Júnior mostra o troféu e a medalha conquistados no Campeonato Baiano de Fisiculturismo. Foto: Arquivo pessoal
Moreira Júnior mostra o troféu e a medalha conquistados no Campeonato Baiano de Fisiculturismo. Foto: Arquivo pessoal

Há um ano, o atleta começou a praticar musculação em uma academia. "Tenho dificuldade para treinar, pois a academia não é adaptada para cadeirantes. Preciso adaptar os exercícios à minha realidade, mas com força de vontade e um pouco de improviso, consigo me exercitar bem", disse.

Carlos ainda recebe todos os dias uma dose extra de motivação vinda de seus familiares e amigos. Nada impede o seu objetivo de superar os obstáculos e seguir em frente. "A cadeira não me limita, apenas me leva onde quero ir. Com foco, força, fé e Deus sempre no comando vou vencendo barreiras e derrubando preconceitos".

"A cadeira não me limita, apenas me leva onde quero ir". Foto: Arquivo pessoal
"A cadeira não me limita, apenas me leva onde quero ir"

Nenhum comentário :

Postar um comentário