10/02/15

Ministério da Saúde faz ação em aplicativos de relacionamento e surpreende usuários

Ação faz parte da campanha de Prevenção às DST e aids do Carnaval 2015


Perfil fictício da Alana, no Tinder. Foto: Reprodução

Ana Beatriz Magalhães
Blog da Saúde

Você já ouviu falar dos aplicativos de relacionamento “Tinder” e “Hornet”? Os dois são muito utilizados por pessoas de várias idades com objetivo de conhecer possíveis parceiros ou até mesmo dar início a um relacionamento amoroso a partir de localização geográfica e de interesse.

O Tinder possui milhares de usuários no Brasil, onde é um dos líderes do aplicativo. O Hornet é voltado, especificamente, para o público gay masculino e reúne milhares de usuários no país.

O Ministério da Saúde, durante a campanha de Prevenção às DST e aids do Carnaval 2015, também está participando dos aplicativos como estratégia de publicidade para dar dicas aos usuários que utilizam as redes, que tem como público-alvo os jovens, heterossexuais, a população gay e HSH (homens que fazem sexo com homens). Afinal de contas, é difícil saber quem tem HIV apenas por um contato virtual.

A ação aconteceu por cinco perfis fictícios criados especialmente para a campanha, que exibem em suas descrições supostas frases de apoio ao sexo sem camisinha. Ao passar as fotos do perfil fictício, o usuário poderá ver as imagens da campanha do Ministério da Saúde com o alerta para o uso da camisinha e a importância de realizar o teste de HIV, que é rápido, seguro e sigiloso.

Durante a ação, o Blog da Saúde conversou com alguns usuários destes aplicativos, como o estudante Carlos*, de 19 anos, que apoia a iniciativa do Ministério da Saúde. “Acho que a ação é importante, porque as pessoas não pensam nisso na hora em que estão conhecendo as outras por um aplicativo e, com isso, elas podem ser tocadas pela mensagem do Ministério da Saúde para se prevenirem”, afirma o estudante.

Para Thiago*, a descrição dos perfis fictícios, que afirmam a preferência pelo sexo sem camisinha, seria um empecilho na hora de “curtir” um perfil verdadeiro no aplicativo. “Não dá para transar sem camisinha com uma pessoa que você não conhece ou acabou de conhecer”, defende.

Veja as reações de alguns usuários dos aplicativos Tinder e Hornet que interagiram com os perfis fictícios criados pelo Ministério da Saúde para a campanha de luta contra a aids durante o carnaval 2015. A pergunta era: E ai, curte sexo sem camisinha?

E você, o que responderia?

#PartiuTeste!

*Os personagens da matéria, Carlos e Thiago, optaram por não ser identificados com seus nomes verdadeiros.

Perfil fictício do Gustavo no aplicativo Hornet Foto: Reprodução
Perfil fictício do Gustavo no aplicativo Hornet
Foto: Reprodução

Perfil fictício conversa com usuários do aplicativo Hornet Foto: Reprodução
Perfil fictício conversa com usuários do aplicativo Hornet
Foto: Reprodução

Perfil fictício conversa com usuários do aplicativo Hornet Foto: Reprodução
Perfil fictício conversa com usuários do aplicativo Hornet
Foto: Reprodução

Nenhum comentário :

Postar um comentário