21/01/2018

Três marcas de BCAAs são reprovadas em análises realizadas pela Proteste

Produtos da Body Action, Probiotica e New Millen têm menos aminoácidos do que o permitido


BCAAs da Probiotica, Body Action e New Millen. Foto: Reprodução

Com informações da Proteste

A Proteste, Associação sem fins lucrativos para a defesa dos direitos do consumidor, testou doze marcas de BCAAs para averiguar se o teor de aminoácidos declarado em seus rótulos podia ser encontrado dentro de suas embalagens. Os produtos foram coletados em dezembro do ano passado, em São Paulo, com os seguintes preços:

  • Atlhetica 2.1.1 - R$ 41,45
  • Body Action 12.1.1 - R$ 115,00
  • Dymatize Nutrition 2.1.1 - R$ 159,90
  • Integralmédica 4.1.1 - R$ 83,89
  • Max Titanium 4.1.1 - R$ 78,30
  • Midway Powder - R$ 169,11
  • Muscle Pharma 3.1.2 - R$ 175,60
  • New Millen 2.1.1 - R$ 31,40
  • Optimum Nutrition Powder - R$ 115,50
  • Probiotica Powder - R$ 86,00
  • Universal Nutrition Stack - R$ 239,10
  • Vitafor 2.1.1 - R$ 169,60

O BCAA é formado por três aminoácidos da chamada cadeia ramificada: leucina, isoleucina e valina. Entre outras funções, estudos mostram que eles ajudam na reconstrução muscular.

Resultados


Após realizar testes em laboratório, os resultados mostraram que todas as marcas analisadas apresentaram quantidade de um ou outro composto diferente do que estava informado no rótulo de suas embalagens.

Três produtos apresentaram quantidades de aminoácidos abaixo de 20%: Body Action 12.1.1, Probiotica Powder e New Millen 2.1.1. De acordo com a Anvisa, as informações nutricionais podem apresentar variação de até 20% (para mais ou para menos).

O Body Action 12.1.1 apresentou 26% a menos de isoleucina. O Probiotica Powder continha 23% a menos de valina. O New Millen 2.1.1 possuía 34% a menos de isoleucina e 31% a menos de valina.

Os resultados foram enviados a Anvisa e solicitada a fiscalização dos produtos analisados.

Resultados dos testes realizados com 12 marcas de BCAAs divulgados pela Proteste. Foto: Proteste/Reprodução
Resultados dos testes realizados com 12 marcas de BCAAs divulgados pela Proteste.
Foto: Proteste/Reprodução

Outras irregularidades


Os resultados das análises indicaram ainda a adição de carboidratos nos produtos das seguintes marcas: Athletica, Muscle Pharma, Midway Powder, Vitafor, Max Titanium e New Millen. Como o BCAA é formado apenas por aminoácidos, não deveria haver presença de carboidratos na composição desses produtos.

Apesar de não ser obrigatória, apenas três produtos apresentaram em suas embalagens a data de fabricação, informação que possibilita ao consumidor escolher um produto fabricado mais recentemente. As marcas são: Optimum Nutrition Powder, Vitafor e Dymatize Nutrition.

Além disso, apenas cinco marcas avaliadas apresentaram em seus rótulos a relação entre peso e porção, ou seja, quantidade a ser ingerida de acordo com diferentes faixas de peso, a saber: Integralmédica, Muscle Pharma, Universal Nutrition, New Millen e Vitafor. A Proteste solicitou a Anvisa que essa informação se torne obrigatória no rótulos das embalagens dos produtos.

5 comentários:

  1. O que achei mais bizarro foi essa variação absurda de preços. Esse mercado é mesmo um lixo.

    ResponderExcluir
  2. Decepcionada com a New Millen sempre acreditei na qualidade de seus produtos mas vi que estava enganada :(

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não dá pra confiar nesses produtos industrializados

      Excluir
  3. Lucas Monteiro22/01/2018 12:50

    Variação enorme nas quantidades de aminoácidos em todas as marcas. Nunca temos certeza do que realmente consumimos. Falta mais fiscalização e controles de qualidade eficientes

    ResponderExcluir
  4. a coisa tá feia mesmo. só farinha

    ResponderExcluir

Receba notícias em seu e-mail

Fale conosco

Envie sua sugestão de pauta, ensaio ou participe de matérias especiais para o site.


Nome

E-mail *

Mensagem *